Uvas

Green_Grapes2

Acho que estou a crescer, ou o que é mais provável, a ficar velha. 🙂
Cada vez mais me apercebo de que me estou absolutamente nas tintas com o que as pessoas que não me interessam nada pensam de mim. É a pura da verdade e até fico contente comigo própria ao verificar isso. Há uns dias até cheguei a parar para pensar “Será que me estou mesmo nas tintas ou digo isto por despeito, tipo uvas verdes?” E depois parei à espera da resposta que não demorou muito a vir: “Nah. Quero lá saber da porcaria das uvas.”
Acho que quando era mais nova era um bocado “people pleaser.” Além disso não gostava de conflitos e evitava-os o mais possível. E penso que na minha família as pessoas nunca foram de exprimir os sentimentos, pelo que eu tenho uma grande dificuldade em fazê-lo.
Continuo a não gostar de conflitos, mas fiz uma espécie de promessa a mim própria: não me vou calar, não vou fingir, não vou esconder o que penso ou sinto só para agradar aos outros em detrimento de mim própria.
Isto é muito mais difícil de fazer quando se refere a pessoas de quem se gosta. Em relação às outras já sou mesmo totalmente indiferente. Em relação às pessoas de quem gosto tenho que fazer um esforço consciente para me manter verdadeira e sincera. Não quero esconder sentimentos. Quero sempre falar e agir com verdade em relação a mim mesma. Mas custa para caramba.
Uma coisa que me ajuda é pensar que se não gostam de mim como eu sou, do meu verdadeiro eu com todos os seus defeitos e qualidades, então sigam o seu caminho. Posso ficar um pouco em baixo, um bocado desiludida, mas no fundo sei que fico melhor sem essas pessoas. É só uma questão de pensar um pouco e rapidamente me recomponho.
O meu bem estar e felicidade só podem depender de mim própria. Estava tramada se deixasse que dependessem dos outros ou das circunstâncias. Se assim fosse não seria uma pessoa livre. Viva a liberdade. Lamento, mas não tenho cravos vermelhos.

Quentes e boas

wpid-castanhasassadas-2013-11-9-07-32.jpg

Ontem comi castanhas. Foram as primeiras deste ano.
Normalmente associo as castanhas ao mês de Novembro, com certeza por causa do S. Martinho. Por isso mesmo nunca como castanhas antes de Novembro. Para mim castanhas são sinónimo de frio. No entanto o S. Marinho é sinónimo de “Verão.” E ontem não foi excepção. Choveu muitíssimo de manhã cedinho mas o céu ficou limpo, azul e com um sol brilhante. Quando fui passear cruzei-me com pessoas em t-shirt. Eu ia mais agasalhada e fui dar uma volta grandinha pelo que acabei por ficar afogueada com o calor.
Quando fui, passei no vendedor ambulante da Praça de Londres. É um senhor que costuma estar junto à Av. de Paris. Lembro-me de lhe comprar bananas quando ainda era miúda. Os produtos que vende vão variando ao longo do ano. No pino do Verão tem um carrinho de gelados. No Outono/Inverno são castanhas.
Quando passei por ele, à ida, pareceu-me que estava ainda a começar a assar as primeiras castanhas e eu não tinha fome. Mas pensei logo que no regresso passaria por ali.
Dei uma volta grande e depois lá fui ter com ele.
A esta altura já estava um bocado esganada de fome. Infelizmente estavam várias pessoas à espera de ser atendidas e eu ainda esperei cinco minutos (diz-me a aplicação Moves) que me pareceram uma hora. Estavam boas as castanhas, mas com pouco sal. Gosto delas mais salgadas. E assim vim para casa a comer castanhas quentes, demais para mim, e boas.
No caminho vinha a considerar se em português as chamamos castanhas por causa da cor, ou se chamamos à cor castanho por causa delas. Inclino-me para a segunda pois é uma tendência que temos: cor-de-laranja, cor-de-rosa. Mas porque é que não é cor-de-castanha? Em inglês dizem orange e rose (para o rosado), mas dizem brown.
Por vezes gosto de pensar sobre a origem dos nomes que damos às coisas. Porque é que o pão é pão? E se por vezes as várias línguas têm vocábulos semelhantes para as mesmas coisas, outras vezes são tão diferentes.
A castanha vem do castanheiro. E agora? É a árvore que deu o nome à fruta ou o contrário? Já vejo uma investigaçãozinha no futuro próximo.
Uma coisa que falhou hoje, no entanto, foi o cinzento. É que associo as castanhas não só ao frio mas também ao nevoeiro e à cor cinzenta. É assim que costuma estar quando como castanhas. E aliás o cinzento é também cor de cinza. E as castanhas assadas são inseparáveis de alguma cinza. Mas porque é que é cinza e não cor-de-cinza?